Preparando o Natal

A surpresa do Pai Natal

Deixe um comentário

Foi com grande espanto que, num domingo de manhã, a Marta descobriu junto à lareira da sala um saco vermelho de feltro, em forma de bota. “Terá sido o Pai Natal?”, perguntou a si mesma. Mas, pelas suas contas, ainda faltavam mais de vinte dias para o Natal, o que é uma eternidade para quem espera ansiosamente por esse momento.
A Marta abriu o saco, mergulhou a mão lá dentro e a primeira coisa que agarrou foi um pequeno envelope. O remetente, claro está, era o Pai Natal. E a carta era dirigida a “todos os que querem viver mais felizes”. No fundo, podia ser para qualquer um. E dizia o seguinte:

Queridos Amigos,

Há muitos anos que ando preocupado com a forma como vivem a época de Natal, que, aliás, é muito parecida com a forma como vivem o resto do ano.
Por isso, resolvi mudar de estratégia. Este Natal, não contem com as tradicionais prendas na noite de 24, que ocupam demasiado espaço nas vossas casas. As prendas que eu tenho para oferecer este ano podem chegar já hoje, no preciso momento em que lêem esta carta. Chamam-se ‘ Tarefas’ e são uma prenda para cada um e para o mundo. Espero que elas vos ajudem a ter um Feliz e Sereno Natal.
Um abraço,
Pai Natal

A Marta ficou um pouco triste. Ela que já sonhava com a boneca de olhos azuis que pedira ao Pai Natal. Quanto às outras prendas, não se importava de não receber. Mas a boneca… Talvez a Tia Luísa, que era sua madrinha, tratasse do assunto.
Mas que tarefas eram essas que ela lera na carta? Não havia tempo a perder. Ao mesmo tempo que vasculhava o fundo do saco, a Marta chamou a mãe, o pai, os manos e a avó, para contar tudo.
— E o saco está cheio de papéis pequenos que parecem rifas. Devem ser as tarefas — disse, depois de explicar tudo. — Vamos ver o que sai daqui.
Então, cada um tirou uma rifa que lhe destinou uma tarefa para a época de Natal:
Plantar dois pinheiros
Oferecer as cinzas da lareira às plantas
Comer mais frutas do que doces
Não ir a muitas lojas
Andar e fazer tudo mais devagar
Descobrir as cores que a Mãe Natureza apresenta nesta época.

Apesar de não parecerem prendas, a verdade é que todos ficaram entusiasmados com as tarefas que o Pai Natal tinha proposto. E esta foi a época natalícia mais feliz que a família alguma vez vivera!
E, na noite de Natal, a Tia Luísa chegou com um embrulho na mão. O Pai Natal dera outras prendas mas não se esquecera de encomendar à madrinha da Marta a boneca que ela tanto queria.

Rosário Araújo e Catarina França
Brincar às escondidas e outras histórias da Mãe Natureza
Revista Pais & Filhos, 2009

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s